Manaus, 25 de Fevereiro de 2020
Custos da construção do AM sobem 0,52 p.p. de novembro para dezembro de 2019
14 de janeiro de 2020
(Foto: Arlesson Sicsú/Arquivo/GDC)

(Foto: Arlesson Sicsú/Arquivo/GDC)

O custo dos materiais de construção sofreu alta em dezembro, elevando o custo da construção civil no Amazonas. A variação percentual no mês foi de 0,30%, e a dos últimos 12 meses somou 5,61%. A principal variação aconteceu em setembro, quando os custos subiram 3,54%.

Segundo o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), divulgado na última sexta-feira (10), pelo IBGE, no Amazonas, em 2019, subiu 5,61%. De novembro para dezembro, a variação percentual foi de -0,22% para 0,30%, ou seja, o custo médio da construção subiu 0,52 p.p. A variação positiva de 0,30%, em dezembro de 2019, foi próxima ao custo médio nacional, que somou 0,22%, o que colocou o Amazonas entre as Unidades da Federação que tiveram maior alta.

O custo médio por metro quadrado da construção civil, em reais, no Amazonas, subiu de R$ 1.141,69, no mês de novembro de 2019, para R$ 1.145,08, no mês de dezembro do mesmo ano. No Brasil, esse custo ficou em R$ 1.158,81, no mês de dezembro.

Houve aumento também, no custo médio por metro quadrado de R$ 630,42, em novembro de 2019, para R$ 633,46, em dezembro de 2019 e uma pequena variação no custo médio por metro quadrado da mão de obra, que foi de R$ 511,27, em novembro e custo semelhante em dezembro, sendo de R$ 511,62.

No Brasil, esse índice saiu de R$ 1.156,31, em novembro, para R$ 1.158,81 em dezembro de 2019. E o custo médio por metro quadrado da componente mão de obra, em moeda corrente (Reais), no Brasil, foi de R$ 549,90, em novembro, inferior ao custo de dezembro de 2019 (R$ 553,17).

No entendimento do Presidente do Sindudcon-AM, Frank Souza, os aumentos nos custos de materiais e mão de obra para a atividade local em dezembro se devem principalmente à fase em que se encontrariam a maior parte dos empreendimentos, dada a diferença de preços e salários que costuma ocorrer nesse estágio.

De uma forma geral, temos uma mão de obra mediana e inferior à de outras regiões do país, em termos de vencimentos, embora seja superior à do Nordeste. O dissídio já passou. O que me chama a atenção em relação a esse aumento é o momento das obras. A maioria deve estar em fase de acabamento, que é quando o custo do trabalhador sai mais caro. Sua execução é mais especializada e acaba puxando o preço para cima”, finalizou.

O custo médio da construção civil no Estado do Amazonas de R$1.145,08 colocou o estado em uma posição intermediária em relação às outras unidades da federação. Os menores custos foram os de Sergipe (R$ 987,88), Pernambuco (R$ 1.035,54) e Rio Grande do Norte (R$ 1.040,49). E os maiores os de Santa Catarina (R$ 1.331,05), Rio de Janeiro (R$ 1.288,9) e Acre (R$ 1.287,76).